Escárnio e Zombaria

12118714_1007564385961241_3690291520574598305_n (1)

A senhorita me perdoe,
Se entender, já que seu cérebro é movido a manivela,
As verdades que eu estou prestes a dizer
Transformo arte, poesia, coisa bonita em escárnio e zombaria.

Me desculpe, mas eu não gosto de você
E descobri que não sou minoria.
Sua alma sofre de anemia,
Anemia de personalidade.

Você não agrada meus olhos,
Você enoja minha boca,
Você enjoa meus ouvidos,
Você é desagradável para meu tato.

A senhorita que acha que é reina, mas tá no fundo da plebe
Com essa cara de boneca que caiu no chão e afundou o rosto,
É até bem feia, e bem falsa.
A verdade é que eu sempre fingi simpatia com você.

Se me permite nesses tempos modernos eu não compreendo,
Como alguém pode ser uma metamorfose ambulante tão genérica,
Fingindo que possui grandes dons e metida em mil grupos que nunca dizem que você realmente é
E colecionar tantos “likes”.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s