Versos Brancos

O que você quer julgando minha rima?
Você entende a minha sina?
É você quem vai me jogar pra cima?
É quase a dor de um dedo batendo na quina.

Faço versos nulos, brancos
Cheia de enganos e encantos
Murro em ponta de faca, solavancos.
Minha poesia é a minha imagem aos prantos.

Escrever é pintar aquarela.
Minha vida em prosa vira novela
Na poesia meu drama desfarela
Lenta como viajar de caravela.

Exagero e violência, filme de Tarantino
Merece Oscar e eu passo o pente fino.
Estou somente tentando viver o meu destino.
Queria eu poder jogar sem mover um pino.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s