Gadernal

Estou Louca.
Não sei como o hospício não me levou ainda.
Sou desajustada.
Não me encaixo em lugar algum.

Escuto vozes entre últimos romances.
Abro os olhos, mas dispenso levantar.
Sou uma suicida que cansou de dizer que ia morrer
Mas morreu muitas vezes por muitas pessoas

Acontece que não acordei hoje de manhã
Ainda estou imersa nesse sonho juvenil
Ora eu corro para o colo maternal,
Ora eu me julgo crescida

Como um bêbado pede mais um copo de cachaça
Eu peço mais uma dose de realidade
É aquele vício por adrenalina
É aquela droga chamada prazer momentâneo

Estou nova demais para ligar para o futuro
Velha demais para relembrar o passado
Me dê mais sofrimento superficial
E uma tragada de depressão pós-namoro

“Não era com ele que eu ia me casar mesmo”
Pela última vez: Me amarre nessa camisa de força.
Eu pirei de vez.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s