Cama

Abrir os olhos, chegar às horas.
Só saio da cama depois das dez.
Antes disso eu tento dormir de novo.
Sono acumulado, zumbi da noite clara.

A rainha da revolução do meu próprio universo.
Hoje eu quero azul, amanhã vermelho.
A mudança começa na minha cama.
Ainda seminua e sem coragem de levantar.

Dizem que é pra chorar na cama.
Que é lugar quente.
Não tem nada de quente.
Tem de frio, solitário.
Tem meu travesseiro de sonhos e cobertor de lágrimas.

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s